Archive for Setembro, 2003

106487502267272584

Setembro 29, 2003

Toda a gente sabe que a maioria dos homens depois da casar, engorda. As causas deste fenómeno estão intrínsecamente ligadas ao ócio, à falta de controle maternal/paternal, e ao argumento irrefutável de “estou em minha casa e como o que me apetecer, quando me apetecer!”. Qualquer macho que se preze engorda uns kilitos depois do “nó”. Aliás, uma barriginha discreta concede ao homem casado uma dose considerável de respeito e aceitação social, sendo possível à comunidade identificá-lo mais facilmente como “homem de família”.
Claro que há quem exagere e, por abandalhamento, desleixo, ou simples prazer gastronómico, deixe que a sua barriga chegue ao ponto de barrar visualmente a genitália, impossibilite um simples apertar dos atacadores ou obrigue as balanças electrónicas a responder “um de cada vez, por favor!”.

Mea culpa. Tal como muitos que conheço ( e voçes sabem bem de quem falo) também eu resisto a tudo, menos a tentações. O conceito de dieta foi, para mim durante muitos anos, o equivalente a substituir a francesinha especial por um pica-pau e a caneca de litro por 3 finos. Mas há momentos na vida de um homem em que há que dizer BASTA!! Comecei na passada 6ª feira uma dieta que, logo a priori, assumi que não cumpriria à risca, até porque quero manter o que resta da minha sanidade mental. De qualquer modo, as principais refeições são substituidas por uma sopa milagrosa (segundo os já magros) e todos os dias há uma lista de alimentos proíbidos e permitidos. Resultado: já emagreci 2 Kg.

Resolvi alterar a dieta original e ao sábado introduzi o dia “all you can eat-no limits”, porque um gajo não é de ferro. Para os mais fundamentalistas, Tallonistas e DermoEsteticistas frustrados, aqui fica a sugestão:

——————-

SOPA MILAGROSA

6 cebolas grandes
2 latas de tomate pelado ou 500gr de tomate fresco
1 couve lombarda
2 pimentos verdes
2 pacotes de caldo de cebola Knorr
1 talo de alho francês
4 cenouras
condimentar como desejar (de preferência com molho de soja)

PREPARAÇÃO:
Corte todos os vegetais , junte os caldos Knorr, cubra com água e deixe
ferver durante uma hora.
Passe com a varinha mágica e sempre que tiver fome coma desta sopa.
Quanta mais sopa comer , mais depressa perde peso.

PLANO GERAL DA DIETA

1º dia:
Todos os frutos que quiser excepto banana. Coma toda a quantidade que lhe
apetecer. Se gosta de melão ou meloa, coma durante o dia quanto desejar. Se
você comer apenas esta fruta e a nossa sopa pode perder(1,5kg) nesse dia.
Coma toda a sopa que quiser.

2º Dia:
Todos os vegetais, toda a quantidade que quiser cozidos ou crus.Tente não
comer ervilhas, milho, feijão e grão. Coma toda a sopa que quiser.

3º Dia:
Todos os frutos e vegetais que lhe apetecer, excepto bananas e batata. Coma
toda a sopa que quiser.

4º Dia:
Bananas e leite. Coma até 8 bananas e beba 8 copos de leite. As bananas
contem calorias, carbohidratos e cálcio mas não se preocupe. Coma toda a
sopa que quiser

5ºDIA:
Bife e tomate. Pode comer até 6 tomates e 100gr de bife. Tente beber pelo
menos 8 copos de água durante este dia para limpar o seu sistema de ácidos.
Coma toda a sopa que quiser.

6º Dia:
Bife e vegetais. Coma toda a quantidade de carne que lhe apetecer e todos
os vegetais que quiser comer (excepto batata). Coma toda asopa que quiser.

7º Dia:
Arroz integral, vegetais, fruta e sumos de fruta sem açúcar. Coma toda a
sopa que quiser.

Sempre que tiver sede beba chá ou café na quantidade que quiser. Tente
pesar-se todas as manhãs e verificará que perde peso todos os dias.

Com o plano T. C. o Hospital Central de Toronto, promete que você perde de
5 a9kg numa semana.
A 2º vantagem desta dieta é que os alimentos escolhidos queimam calorias
mais rapidamente do que você as pode produzir. Poderá seguir esta dieta
durante o tempo que quiser, pois nunca se sentirá enfraquecida ou
adoentada.

———————

Anúncios

106445335535991805

Setembro 25, 2003

Para os apreciadores do melhor da literatura chilena, a última obra de Luís Sepúlveda, constituída por uma série de crónicas mais políticas do que o seu habitual, é leitura obrigatória. Numa sequência de histórias que são gritos-revolta contra o regime Pinochet, Sepúlveda aborda, com prespicácia e deliciosa ironia alguns temas da actualidade – Entre eles, a questão da globalização, alargada desta vez, à linguagem que circula nos media e acaba por se tornar dado adquirido nos discursos dos líderes, mas também no cidadão comúm, mesmo que este desconheça o que está a dizer. Este mal, como tantos outros, tem a a sua génese nos E.U.A., essa terra que tanto de bom, mau e surpreendente trouxe ao planeta. Na crónica que dá pelo nome de “O Senhor desculpe, Don Miguel” confirma-se esta ideia:

“Sendo assim , não deve surpreender-nos que um texano cujo curriculum começa e acaba com a pena de morte, nos diga que o Irão, Iraque e a Coreia do Norte sejam ‘o eixo do mal’ …/… Estão a americanizar-nos com base em imbecilidades e as primeiras vítimas são as pobres palavras. O nosso idioma tende a explicitar, a ser inequívoco, mas nas bocas de uma tribo sem história e sem interesse pela história, sem outra cultura além do sucedâneo para simplificar a complexidade, converte-se num jogo de scrabble com regras determinadas pelo dono do tabuleiro e das fichas.”

Fica aqui o conselho de leitura para esta semana. Sim…, que esta merda não é só copos e gajas, como alguns pensam.

106408340478177921

Setembro 20, 2003

Qualquer semelhança com os efeitos da ingestão desmesurada de bebidas alcoólicas é mera coincidência.

106408107168705944

Setembro 20, 2003

As mulheres de Belgrado
A multiplicidade de formas que a beleza feminina assume a nivel internacional é algo de fascinante e revelador do encanto e variedade da espécie humana na sua mais bela apresentação.

Temos o frenético e insinuante bumbum brasileiro, os fartos e aconchegantes seios italianos, o olhar penetrante e hipnótico duma oriental, as longas e esculturais pernas escandinavas, os carnudos e voluptuosos lábios africanos….enfim, em todas as nações é possível encontrar motivos de deslumbramento e características exclusivas dessa nacionalidade ou raça.

E depois temos Belgrado. Embora reconhecendo a relatividade das preferências e gostos de cada indivíduo, mas nesta cidade é possível encontrar os mais belos exemplares da espécie feminina e agradar a todos. Sentado numa esplanada na Republika Square no centro de Belgrado, constato que, tal como a minha, as cabeças dos homens aqui sentados comigo são autênticos periscópios desvairados em busca do inimigo: “Olha esta que vem aí!” “Shiiii, Olha-me aquelas pernas”, “Olha, olha!!!vem aí mais duas!!!minha nossa!!!”
As ruas são verdadeiras passerelles, as lojas de roupa deveriam ser transformadas em reservas naturais protegidas, a sinistralidade automóvel na cidade é alta e percebe-se bem porquê, os bares e discotecas são verdadeiras salas de masoquismo para monogâmicos. Enfim, as mulheres são o melhor cartaz turístico da cidade. Há que ver para acreditar. Aceitem o meu conselho e passem por lá. Solteiros, claro…

106350822091295497

Setembro 14, 2003

Belgrado, 22H00. A chuva parou, finalmente. O vidro embaciado do velho Yugo que me transporta lentamente ao aconghego do hotel não deixa descortinar a verdadeira cidade. No banco de trás, observo, pelo retrovisor, os olhos dos taxista. Estão tão cinzentos como os ruas que atravessa, tristes, cansados…Na condição priveligiada em que me encontro, nem com esforço e imaginação conseguiría visualizar ou sentir o que aqueles olhos já viram. A cidade renasceu das cinzas da guerra civil, o capitalismo ocidental encheu lojas e vestiu gentes. Os sinais exteriores de riqueza florescem por todo o lado, anunciando um futuro de progresso e renascimento, mas é no olhar dos mais velhos que confirmamos a paragem do tempo.

Os afortunados que nasceram no pós-guerra não assistiram à  barbárie e ao extermínio massivo, mas quase todos tem ligações familiares às consequências do conflito civil. Há ainda contas por ajustar, feridas que teimam em não cicatrizar. A paz imposta interrompeu os desejos de vingança e obrigou a uma coexistência tolerante, em prol da unidade sérvia.

No bar “Bus”, um dos refúgios de diversão nocturna, jovens bebem e dançam como em qualquer capital europeia. A globalização, as multinacionais, as roupas de marca e os toques polifónicos estão omnipresentes numa vaidosa demonstração de orgulho pelo erguer da nação – Somos quase Europeus, parecem afirmar. Contúdo, a rede telefónica é insuficiente, o parque automóvel cristalizou na era dos Ladas e Trabants, o poder de compra é deprimente, o abismo entre classes sociais cresce a olhos vistos, os dilemas de um país cambaleante, ferido e orgulhoso agravam-se com os mais recentes vícios importados da próspera Europa, mas a condição humana surpreende sempre o mais céptico. Embora a memória recente da nação constitua uma bomba-relógio sócio-polí-tica, suporta-se o quotidiano num nítido esforço de amnésia colectiva. Se a geração que matou e viu morrer conseguir suportar esta coexistência sem passar o gene da intolerância, então quando os olhos tristes e velhos do taxista se fecharem definitivamente, talvez outros possam abrir, mais confiantes e luminosos como a manhã que se avizinha.

106332820894312270

Setembro 12, 2003

Mais uma volta, mais uma viagem… Aviso à navegação – estou novamente de partida, desta vez para Belgrado. O Kukas vai ficar até 4ª sem ninguém ao balcão para servir os sedentos de novidades. Se o engenho e arte das telecomunicações sérvias permitirem, blogo de lá, caso contrário, sirvam-se dos links e do mail à buntade.

Televisivamente, vou sentir falta do Big Edredon que esconde os Brothers e as Sisters na trungalhungice e das rajadas intermitentes da Cremalheira Guilherme, essa grande comunicadora… Espero também ver terminado o escândalo Casa Pia assim que chegar, bem como os 284,651 documentários e análises ao 11 de Setembro. By the Love of God, deixem descansar os mortos e tratem mas é dos vivos, que estão bem piores!! Até ao meu regresso (a menos que o Osama me pregue alguma partida, claro). Salaam.

106296981887080831

Setembro 7, 2003

Vocês sabem que eu nem gosto de futebol. Mas quando se trata do noso FCP ou da Seleçom, lá estou sentado em frente à  têbê com uma fresquinha na mão e uns amendoins para controlar a ansiedade. Ontem mamei 3, tantas quantos os golos frente aos nuestros hermanos. Sim,.. que se estes gajos são nuestros hermanos, eu exijo um teste de paternidade por ADN. Isto não se faz ao sangue do nosso sangue!!

Foi uma verdadeira sessão masoquista assitir a este espectáculo. Enquanto o brazuca experimenta, não convoca, esquece e finge que não houve, os resultados são quase tão maus como as exibições, o povo desespera agitando lenços, a imprensa perde a paciência e Portugal interroga-se sobre a eficácia deste esquema de jogo em 2004: “E se não Colari?” …

Citando o nosso Rui Veloso: “mas falemos de coisas bem melhores” – A série “Sexo e a Cidade” continua a ser exibida na SIC e constitui um oásis de qualidade neste pântano de reality shows, pimbalhada e “infotainment” da pior espécie. Para as fans desta produção televisiva que se identificam com a mesma, confirmem qual daquelas malucas depravadas tem mais a ver convosco .

106279848749937069

Setembro 5, 2003

Já ninguém leva a virgindade a sério. O solene acto de “tirar os 3” transformou-se num procedimento desagradável, mas imperativo para quem vive em comunidade, como quem aplica Clerasil numa borbulha antes da festa. Quanto mais cedo melhor, parece ser o lema (uma interpretação errada deste lema pode, no entanto, dar origem a prisão preventiva de outrém, como bem sabemos). “Fosga-se que já não sou virgem”, dizem eles aliviados, depois de dar a 1ª, sem saber muito bem o que fizeram.

Os virgens são frequentemente olhados com desconfiança, sobretudo se tiverem mais de 20 anos. Os que passam dos 30 sem molhar o pincél são apontados a dedo e evitados socialmente (“OLHA PAI! O TONE VAI FAZER 34 E AINDA NÃO DEU UMA, DEVE ESTAR COM ELES MAIS CHEIOS QUE UM CONTENTOR DE UCRANIANOS ILEGAIS! ) . Os que chegam à  mí­tica barreira dos 40 são alvo de investigação cientí­fica e convidados para freak-shows ambulantes. Mas dentro desta escassa fauna, surge agora uma variante: aquelas que, embora venerando e mantendo a castidade vaginal, não abdicam dos seus desejos, optando assim por “caminhos alternativos” . Este mundo está perdido! Bloga-se!!!

106261621638891005

Setembro 3, 2003

Inevitável. O lagarto chamuscado e com 4 no papo abandonou a catedral das Antas humilhado e com a sensação de que o “Engenheiro” ainda tem muita obra pela frente. Para além do festival dentro das 4 linhas, nota ainda para algumas pérolas exibidas em faixas pela claque do FCP. Entre outras:
– Alvalade XXI: Fungos no Relvado, Parasitas na Curva
– Alvalade XXI: Capacidade: 49573 Cegos e 600 Invisuais

Falemos agora de gajas: todo o gajo tem um fetiche lésbico. Quem o negar, atraca de popa ou ainda não decidiu que uso dar à sua traseira. Ver duas boas matronas a deglutirem-se faz parte do nosso imaginário viril e para alimentar essa mesma fantasia, aqui fica a mais recente troca de fluidos femininos ao vivo e a cores.